segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Um pouco do ano que termina para inspirar o ano que se aproxima



Estamos finalizando o ano que marca o início da nossa caminhada. É isso mesmo. O NEX Coworking abriu as portas em 2011, no mês de junho. Desde o primeiro momento, definimos de maneira bem clara o nosso propósito: construir pontes. Mais do que um simples escritório ou um espaço de trabalho, nos lançamos o desafio de estabelecer conexões de valor entre profissionais de diferentes áreas, com diferentes perfis. E após seis meses de atividades, é muito bom perceber que juntos estamos construindo uma grande comunidade.

Fechamos o ano com mais de 25 profissionais compartilhando escritório, conhecimento, ideias e negócios. Gente das áreas de publicidade, jornalismo, fotografia, arquitetura, tecnologia da informação, marketing, direito, além de professores, consultores empreendedores sociais . O dia-a-dia da nossa comunidades tem sido marcado por muito trabalho, projetos novos, aprendizado e, sobretudo, muita troca. É comum ver profissionais trocando opiniões, colhendo importantes feedbacks e estabelecendo parcerias de negócios. O nome disso é colaboração.

Além da rotina do escritório coletivo, diversos eventos marcaram esses seis meses de atividades do NEX. Os cursos de facebook, o workshop de Design Thinking e as dez edições dos nossos #nexchats sobre sustentabilidade, startups, crowndfunding, google+, mundo do trabalho, etc, possibilitaram a participação de mais de 300 pessoas. Um balanço super positivo para o início de uma caminhada.

Todas essas realizações demonstram a força de uma comunidade. Desde que começamos a disseminar a ideia do NEX Coworking estamos repetindo que o isolamento é prejudicial para o trabalho. Trabalhar sozinho, cercado por muros, reduz nossa capacidade criativa e ofusca a visão do horizonte. Por outro lado, conexões profissionais saudáveis são pontes para ampliação das oportunidades e para o crescimento. Cada vez que recebemos um novo membro percebemos que nossa capacidade aumenta e que, juntos, podemos realizar muito mais.

E os nossos desejos para 2012 vão justamente nesse sentido. Queremos ampliar ainda mais nossa comunidade e fortalecer as pontes entre todos os nossos coworkers, parceiros e amigos. Em um ano de incertezas no campo da economia, estamos aqui para afirmar que, quanto mais sólidas forem nossas conexões profissionais, mais fortes serão nossos negócios. Criatividade, aprendizado coletivo e oportunidades farão parte da nossa rotina. Por que? Porque estaremos juntos.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

ConfraterNEX, nosso almoço na firma


(foto: Gibran Mendes) 
(foto: Erica Marques)
(foto: Erica Marques)

Quem disse que freelancers, empreendedores e profissionais independentes não têm almoço na firma? Pois o pessoal que compartilha escritório aqui no NEX Coworking mostrou que esse hábito de fim de ano também é possível em espaços coletivos.

O ConfraterNEX, nosso encontro para celebrar o final do ano, aconteceu no último sábado, dia 17/12. Tivemos aqui um almoço com a presença da maioria dos nossos coworkers, acompanhados de familiares e amigos. Como tudo que buscamos fazer este ano, nosso encontro foi produzido com muito carinho, buscando criar um ambiente agradável e, acima de tudo, onde uma comunidade possa ser formada. Uma
comunidade de profissionais, é claro, mas também uma comunidade de gente de bem.

Em seis meses podemos perceber que este sonho está se concretizando de forma muito mais rápida do que podíamos imaginar. Os quase 30 coworkers hoje fazem parte de um espaço colaborativo, onde não apenas os serviços e espaços de trabalho são de uso comum, mas as conexões que estamos criando entre nós também são nosso maior valor.

Se o Natal carrega intrinsecamente a simbologia do renascimento, significa que também é tempo de esperança e renovação. De organizarmos nossas vidas, nossos negócios e família para que tudo se encaixe em um círculo de harmonia. Assim seremos mais felizes, realizados e deixaremos um mundo melhor para as gerações que pedem passagem.

Isso é Natal e são os votos Nex Coworking para toda a comunidade: nossos amigos, coworkers, parceiros e colaboradores. 

Um 2012 com muita luz e saúde. E muito trabalho!

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

#Coworker NEX: Eduardo Ribeiro

Foto: Guilherme Zavattaro



Publicitário e fotógrafo, Eduardo Ribeiro trabalha com imagens e conteúdo durante todo o tempo. Vive conectado nas redes e compartilhando material profissional. Apaixonado pelos barulho das máquinas fotográficas, já clicou grandes eventos, festas, além de registrar imagens pontuais para publicidade. Do outro lado, atrás de um computador, além de tratar as fotografias registradas, também é um ás em programas de edição e composição de imagens. Eduardo Ribeiro, 24 anos, é nosso publicitário multifuncional e amante de fotografias em preto e branco.

Suas principais referências são Sebastião Salgado e Alberto Korda na fotografia, já na publicidade sua referencia é tudo que lhe envolve, desde um anúncio vendendo pipoca, aos grandes leões. Ele acredita que seu trabalho não é apenas vender, como dizem, mas também é emocionar, tanto o cliente como o consumidor. Esse é Eduardo Ribeiro.



PING - NEX


Uma imagem vale mais que mil palavras? Por que?

A quantidade de emoções que uma imagem gera vai muito além de uma simples explicação em palavras, porém, a força que a palavra consegue agregar junto a imagem nos dá o cenário perfeito para uma grande peça publicitária.


Fotografia em Preto e Branco traduz.....

A realidade em sua forma mais pura.


Ser um publicitário significa o que ?

Significa que você precisa ser capaz de entender e prever o comportamento e as necessidades das pessoas.


O que é mais difícil? Vender pessoas, produtos ou locais? Por que?

Vender produtos é mais difícil. As pessoas se vendem de forma simples e direta, os locais idem, já os produtos precisam de um trabalho maior, você precisa conquistar, convencer, administrar e mesmo depois de tudo isso você nunca vai ter um cliente 100% fiel.


O que é mais difícil? Tirar uma fotografia ou criar um anúncio? Por que?

Criar um anúncio. A fotografia só precisa do seu click, todo o conteúdo já existe e está na sua frente. Para criar um anúncio você precisa de bons momentos de criatividade e muito brainstorm.


No intervalo de trabalho no Nex gosta de...

Observar e conversar com os coworkers, tem forma mais fácil de absorver conteúdo para o dia-a-dia? Creio que não.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Escritório Verde em Curitiba

Inaugura amanhã o Escritório Verde (EV) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Ele é o primeiro modelo de escritório sustentável “carbono zero” do Brasil. Sua instalação é simples e contou com a colaboração dos estudantes de mestrado e da Empresa Junior Econsultoria, além de ex-alunos da UTFPR que são voluntários no projeto. A arquiteta Marina Rodrigues, coworker aqui do Nex, trabalhou em parceria na viabilização das soluções sustentáveis para o projeto.

A sede do Escritório Verde está sendo erguida dentro dos princípios da construção sustentável na Av. Silva Jardim, 807 e tem como proposta ser um “laboratório vivo” aberto ao público para demonstração da ecoefiência dos produtos e das tecnologias empregadas em sua construção, por meio de visitas previamente agendadas com acompanhamento técnico.

Parabéns a todos e, em especial, à nossa colega de escritório Marina Rodrigues!

Com informações do site Escritório Verde.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Curitiba terá Instituto destinado a portadores de Fibrose Cística

Foto Divulgação


Na próxima segunda (12) a Verônica Stasiak, nossa coworker, lança o Instituto Unidos pela Vida, às 19h30, no Estação Business School. Verônica é portadora de Fibrose Cística e o Instituto tem por objetivo auxiliar portadores da doença. Desde que descobriu a doença, em 2009, ela iniciou uma luta diária e incansável de divulgação da doença no Brasil com palestras, entrevistas e trabalhos voluntários.

“Quando fui diagnosticada com a doença, logo surgiu a idéia de fundar um grupo de divulgação da doença, um espaço que agregasse informações sobre a enfermidade, com depoimentos de portadores, de pais de portadores, com notícias sobre a Fibrose Cística, enfim um espaço de acolhimento”.

Dados da Associação Paranaense de Assistência apontam que hoje, no Paraná, existem cerca de 300 pessoas em tratamento. Em todo o país, são aproximadamente 3500 pessoas em tratamento cadastradas nas associações do Brasil. No entanto, a incidência nacional da doença é de 1 para cada 10 mil nascidos vivos. Se levarmos em conta o número de 3 milhões de nascidos vivos por ano, de acordo com o Datasus, notamos que o número de pessoas em tratamento diagnosticadas é bem menor do que de fato deveria ser.

Isso é o Nex. Compartilhar, colaborar, trabalhar e produzir para um mundo melhor!

Clima de Natal no NEX



Fotos: Gibran Mendes

O Nex Coworking já está em clima de festas de final de ano. Nosso escritório compartilhado também é colaborativo até nestas horas. Estamos contando com a colaboração de nossos coworkers e parceiros para participarem na decoração, trazendo enfeites para deixar nosso ambiente de trabalho mais bonito e no clima de Natal. A nossa tradicional arvore de Natal foi enfeitada de maneira colaborativa e traz um colorido todo especial.

Temos uma árvore mural em uma de nossas paredes, onde os coworkers estão deixando mensagens de natal e boas festas. Criatividade e boas intenções é o que não falta! Além da nossa árvore sustentável, feita com galhos secos e adornada com bolas natalinas, suspensa no teto do nosso escritório!

Estamos programando também a nossa festa de fim de ano, reunindo todos os coworkers, amigos e familiares.

Venha nos visitar e conheça um pouco mais deste mundo colaborativo, onde até nossas festas, expectativas e desejos de felicidade são compartilhados!

E se puder, deixe aqui seu recadinho ou seu mimo de natal.

Ho, ho, ho!

Consumo colaborativo conquista adeptos em Curitiba



Trocar e compartilhar bens de consumo ao invés de comprá-los. Essa é a idéia sustentável por trás do conceito de consumo colaborativo, um fenômeno que vem crescendo no mundo todo e no Brasil. Por trás deste conceito estão consumidores mais focados em usufruir de um produto ou serviço, abrindo mão do hábito da posse. Para essas pessoas, ter menos bens significa menos danos à natureza, além da redução de custos.

São serviços que, por meio da internet, crescem de forma vertiginosa e oferecem a troca, aluguel, empréstimo a até mesmo a doação de qualquer tipo de bem, sem a necessidade de equiparação do valor. A idéia, criada por Rachel Botsman e Roo Rogers, está pautada em quatro motivos fundamentais que provocaram a mudança de comportamento destes novos consumidores: a crise imobiliária de 2008, a preocupação com o meio ambiente, a retomada da importância da comunidade e a influência das redes sociais e a tecnologia em tempo real na interação entre pessoas.

Um bom exemplo desta nova modalidade de consumo é o Nex Coworking, um escritório compartilhado. Trata-se de um local onde vários profissionais compartilham um mesmo ambiente sem a necessidade de cada pessoa alugar seu próprio escritório. “Dessa forma os nossos coworkers cortam custos e também consomem menos recursos. Temos a mesma estrutura de um escritório convencional, além de incentivarmos as relações profissionais entre os coworkers. Compartilhar mais e comprar menos, esse é o objetivo”, explica o fundador do Nex, André Pegorer.

O espaço conta com 38 posições de trabalho divididas em duas salas. São arquitetos, jornalistas, publicitários, profissionais de TI, consultores, entre outros que dividem o mesmo ambiente. “Economizamos em vários aspectos. Do aluguel, passando pela energia elétrica, até mesmo nas relações de trabalho quando firmamos parcerias que são benéficas para todos”, revela o publicitário e sócio da agência de publicidade BRZ Creative, Eduardo Ribeiro.

Outra iniciativa paranaense é o Dois Camelos, aplicativo que surgiu em 2010 com a finalidade de trocar produtos. O modelo já conta com 5 mil usuários ativos mensalmente e 20 mil já cadastrados. “Basta o interessado se cadastrar no site gratuitamente. Os produtos são divulgados pelo aplicativo do Facebook e os usuários têm a possibilidade de publicar o produto no seu mural fazendo com que a visibilidade aumente significativamente”, afirma a fundadora do Dois Camelos, Fernanda Athayde.

Pautado na premissa de promover um consumo consciente e uma postura ambientalmente sustentável, diariamente são divulgados diversos produtos, entre eles podemos citar livros, brinquedos, games e eletrônicos. “De inusitado, talvez, um escapamento de carro e uma direção de Fusca original”, completa.

A partir do cadastro, basta os interessados em trocar os produtos conversarem e definirem a duração do tempo que cada um ficará com o produto. O aplicativo conta também com Pontos de Troca. “São parceiros escolhidos por acreditarem na importância do “pensar sustentável” e na certeza de que podemos fazer um mundo melhor”, lembra Fernanda. Os Pontos de Troca funcionam da seguinte maneira: você tem um livro, CD ou qualquer outro objeto, vai até um ponto de troca e realiza a troca por um outro produto que esteja lá disponível e que seja do seu gosto.

Fábio Picolo há três meses está cadastrado no Dois Camelos. “Todo dia olho o aplicativo em busca de trocas que possam ser interessantes. É quase como um vício. Pensar que posso achar um novo dono para algo que eu não queira mais ou achar algo legal que alguém não usava mais faz a ideia ser fantástica”. Entre os produtos para os quais Picolo procura novos donos, está um monitor LCD de 17 polegadas.

Outro bom exemplo de consumo sustentável vem da loja Endossa, uma loja colaborativa que surgiu em 2008, em São Paulo, com uma proposta diferente. “Aqui nós alugamos os espaços dentro da loja para várias marcas dos mais diversos produtos”, explica a empresária Nathalia Anring, proprietária da Endossa.

O aluguel funciona da seguinte maneira. O valor varia de R$ 140 a R$ 500 mensais, dependendo do tamanho do espaço na loja. A partir daí as lojas precisam alcançar uma meta de venda que corresponde ao aluguel o espaço. “Se a loja alcançar a meta - chamada de endosso - de venda, ela permanece no espaço, mas se não alcançar dá espaço para outra marca entrar”, revela Nathalia, que já conta com um espaço também em Curitiba.

No total são 144 espaços a disposição das marcas. Para entrar na endossa, é preciso fazer um cadastro e esperar na fila até que um espaço esteja vago. “Não há limite de vezes para entrar na loja. Mesmo que uma marca saia, ela poderá retornar, mas sempre aguardando na fila de espera”. A loja é a única no mundo com este conceito colaborativo

Segundo dados do Ministério do Meio Ambiente, anualmente são consumidos mais de 120 milhões de unidades de eletrônicos e, pelo menos 500 milhões desses produtos encontram-se atualmente sem uso na casa dos brasileiros. Números da ONG Akatu, de consumo consciente, apontam que apenas 5% dos brasileiros são consumidores conscientes.

Atitudes como a de compartilhar mais e comprar menos evitam o acúmulo de lixo e a produção em larga escala de bens de consumo, além de gerarem uma economia alternativa e fazer do consumo colaborativo um serviço profissional. Não é a toa que o bike sharing, sistema de compartilhamento de bicicletas, é o serviço de transporte que mais cresce no mundo.

No mundo

O Zipcar, por exemplo, que é um famoso serviço de aluguel de carros pelo mundo é um bom exemplo de consumo colaborativo. Ao invés das pessoas comprarem seu próprio carro, elas apenas alugam para períodos em que realmente precisam. A empresa conta com mais de 5 milhões de usuários ao redor do mundo. Para cada carro a disposição para ser alugado, são 15 automóveis a menos nas ruas. Reflexo desse consumo consciente, é que nos últimos 20 anos caiu em 17% o número de jovens entre 18 e 29 anos de idade comprando carros novos, somente na Alemanha.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

3ª edição do Vicentina

Foto: Divulgação


Curitiba é, cada vez mais, espaço de manifestações culturais, unindo pessoas em torno de causas, ideias, assuntos ou simplesmente para uma boa diversão. O que não falta é interação e confraternização.

E no próximo final de semana, nos dias 10 e 11, uma das ruas mais agitadas da cidade, a Vicente Machado, será palco de um evento cultural que promove moda, arte, dança, design entre muitas outras novidades, (além de gerar negócios), a 3ª edição do Vicentina.

Vicentina é uma reunião de lojas que convidam marcas, designers, estilistas e artistas para expor e comercializar seus trabalhos em seus estabelecimentos. Paralelamente, apresentações musicais e de dança acontecem nas calçadas, mostrando o trabalho de artistas e criadores da cidade. As artes visuais, também são contempladas, por meio de exposições de artistas e fotógrafos locais.

Segue a programação e a lista dos expositores da edição.




Fonte: Vicentina

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

#Coworker NEX: Marina Rodrigues

Foto: Eduardo Ribeiro

A arquiteta Marina Rodrigues formou-se pela PUC-PR e hoje compartilha escritório conosco aqui no NEX Coworking. Ela acredita que a arquitetura deve servir para promover a qualidade de vida e o bem estar social.

Para ela os novos arquitetos devem saber que são generalistas por essência, como defende Lelé (João Filgueiras Limas, arquiteto precursor dos conceitos da arquitetura sustentável exemplificados em suas Obras da rede Sarah, ainda na década de 50) e precisam estar todos sempre ligados para responder questionamentos em todas as etapas da obra. Para os acadêmicos Marina recomenda sonhos altos e novos projetos, mas sempre embasados em boas teorias.

Curitibana, nossa arquiteta gosta ainda de viajar, ver bons filmes e ler bons livros. Andar de bicicleta também é um dos hobbys favoritos de Marina.


PING - NEX


Ultimamente tenho lido livros sobre... 

A arte de projetar... Tenho me envolvido com muitos livros técnicos, aí percebi que necessitava voltar um pouco aos tempos da faculdade. Na literatura, não tenho tido muita sorte com romances, mas adoro!


Para ser um bom arquiteto é preciso.... 

Nunca deixarmos de estudar e nos atualizar, pois as técnicas estão sempre se inovando e atualizando.


Curvas ou linhas? Por que?

Às vezes curvas, às vezes linhas. Tudo dependerá do entorno e do cliente, um bom arquiteto nunca deixa de estudá-los para começar a projetar.


Formas ou funcionalidade?

Insisto, formas precisam ser funcionais, ou então a arquitetura perde sua essência, e torna-se apenas arte.


No intervalo de trabalho no Nex gosta de... 

Papear, entrar em discussões viajadas e sem fim, dar risada, tem coisa melhor?



Melhor que isso, Marina, só ter a equipe de coworkers que temos hoje.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

O exercício do futuro

Antecipar tendências e simular o futuro está entre as atividades de rotina em empresas inovadoras. Usando diferentes mídias, sobretudo vídeos muito bem produzidos, corporações oferecem ao público um pouco da sua visão sobre como as pessoas vão trabalhar, se relacionar, morar e se movimentar.

Separamos aqui alguns vídeos conceituais de empresas como Microsoft, Intel e Samsung.

Assista, vale a pena!








terça-feira, 29 de novembro de 2011

Nex sedia Workshop de Design Thinking


Fotos: Rodrigo Bortot
A necessidade do consumidor, interação com o usuário, inovação, novos comportamentos e qualidade. Esses são pontos que as empresas buscam todos os dias, mas acabam esbarrando na falta de ferramentas adequadas.

Diante deste cenário é que surgiu o Design Thinking. Um processo que procura trazer a visão do design para dentro do ambiente organizacional, auxiliando as empresas a encontrarem soluções criativas para problemas diversos e para o desafio da inovação.

Durante a manhã e tarde da ultima segunda-feira (29) nós aqui do Nex sediamos o Workshop de Design Thinking. Ministrado pelo designer Guto de Lima, o workshop teve o intuito de “mostrar aos participantes uma nova forma de pensar a inovação”, afirma o designer.

Aos poucos, essa nova disciplina está chegando para as empresas, sejam elas grandes ou pequenas. Esta é uma nova forma de pensarmos inovação, é uma forma de levarmos à população, produtos e serviços que elas precisam e que, às vezes, não se deram conta.

Quando falamos em Design Thinking logo pensamos que o conceito está ligado unicamente ao desenvolvimento de produtos. Mas, segundo Guto, o Design é muito mais abrangente e atua em outras esferas. “Ele não se restringe apenas ao desenvolvimento de produtos, mas também de serviços, de modelos de negócios e de sistemas”.

Pra quem pensa que o Design Thinking está ligado apenas a profissionais da área de Design, está muito enganado! “O workshop e o próprio Design Thinking estão abertos a qualquer profissional, seja ele de qualquer área”, explica Guto.

Gostou do tema? Quer saber mais sobre Design Thinking e suas aplicações? Entre em contato com o Guto de Lima pelo email guto@delimadesign.com.br e tire suas dúvidas

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Crises emergentes ameaçam sustentabilidade do Planeta   

Na palestra de abertura do IV Congresso Brasileiro de Jornalismo Ambiental, que ocorre no Rio de Janeiro, economista alerta que estilo de vida compromete preservação das espécies.

Na palestra de abertura do IV Congresso Brasileiro de Jornalismo Ambiental, “Desafios da Rio+20”, ocorrida na manhã de quinta-feira (17/11), na PUC do Rio de Janeiro, o economista Ladislau Dowbor apresentou um gráfico que demonstra o avanço explosivo das PPMs (Partículas Por Milhão) presentes na atmosfera e que tem, como consequência, o aquecimento global, tratado como controvérsia inclusive no meio científico. O Congresso acontece até sábado (19/11) e reúne mais de mil pessoas, entre jornalistas e estudantes do Brasil e de países latinos, que discutem o tema “Imprensa e meio ambiente, uma aliança necessária”.

Durante sua palestra, Dowbor afirmou várias vezes que “estamos em guerra”, ao analisar o estilo de vida da população, considerado prosaico. Ele cita,como fatores que intensificam o avanço dos impactos ambientais e sociais, a explosão da população e do consumo, e a extinção das espécies, “que é uma catástrofe planetária, por prejudicar as cadeias alimentares”.

Para Dowbor, é preciso regulamentar e organizar o uso racional e regular dos recursos naturais, e diz lamentar a pesca oceânica, “que está liquidando a vida nos mares”, afirma. “É um conjunto de crises convergentes que estão se tornando uma ameaça num ritmo avassalador”, salienta o economista, ao defender a construção de processos decisórios inteligentes, que busquem redistribuir a renda e fortalecer as cadeias produtivas, usando, especialmente, os recursos oferecidos pelas 147 das 447 coorporações que dominam a economia mundial, a maioria de instituições bancárias.

Ladislau Dowbor destacou os Dez Mandamentos, “revistos e atualizados de forma irônica aos impenitentes”, que podem ser conferidos no http://dowbor.org/dez%20mandamentos.doc. Entre as orientações estão “não organizarás a tua vida em função do dinheiro”, “não ganharás dinheiro com o dinheiro dos outros”, e “não controlarás a palavra do próximo”.


Texto: Adriane Bertoglio Rodrigues

Fonte: EcoAgência de Notícias Ambientais

domingo, 27 de novembro de 2011

Nosso primeiro Coletivo Nex


Lançamos nesta semana a primeira edição do Coletivo Nex, nosso boletim quinzenal de informações. O objetivo desse novo meio de comunicação é construir mais uma ponte com a comunidade coworker, parceiros e amigos. Vamos compartilhar nossas experiências, atrações e também contribuir para a formação de uma cultura nova, para quem comunga de conceitos colaborativos, novas idéias e uma nova forma de ver o mundo.

Serão muitas novidades, dicas culturais, gastronômicas, nossa agenda de atividades e claro, notícias relacionadas ao NEX e ao mundo do trabalho e ambientes colaborativos.

Mas o Coletivo Nex só será um sucesso com sua participação. Inscreva-se para receber o boletim, participe, opine, contribua. Se nosso ambiente é colaborativo, por óbvio, com nosso boletim não poderia ser diferente. Boa leitura!

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

2a edição do #horaextra

(foto: Hugo Norberto)

Nesta quinta-feira (24) tivemos a segunda edição do #horaextra, o nosso happy hour de coworkers que acontece na última semana de cada mês.

O clima foi de alegria. Pedimos pizza, colocamos música e clipes no telão e assunto para conversa não faltou. Além dos coworkers, vieram esposas, amigos, namoradas. Todo mundo confraternizando!

A conclusão que chegamos depois do happy hour: trabalhamos com as pessoas mais bacanas, divertidas e com ótimo gosto músical!

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Criando valor as nossas relações sustentáveis


Fotos: Hugo Norberto

Nosso #nexchat desta semana trouxe a terceira edição do Papo Sustentável. Desta vez, o bate-papo sobre sustentabilidade teve como tema: criando valor nas relações sustentáveis. Como criar valor em nossas relações? De que maneira inspiramos nossas conexões? As duas perguntas em forma de provocação deram o tom da nossa conversa.

O evento colaborativo quinzenal começou com uma dinâmica de grupo com o objetivo de identificar as conexões entre os participantes, ampliando as redes. Logo após esta atividade o bate-papo continuou por quase três horas. O consenso ficou para a certeza de que a sustentabilidade começa com uma ação individual e passa a inspirar a mudança em outras pessoas por meio das relações que criamos no dia-a-dia.

Nossa certeza como cidadãos é que ganhamos muito mais quando tentamos inspirar as pessoas a refletirem sobre a sustentabilidade do que quando tentamos impor nossas opiniões. Questionar as pessoas da mesma forma que nos questionamos a respeito de práticas sustentáveis é uma ótima forma de levá-las a reflexão sobre o tema.

Apesar dos diferentes pontos de vista, nosso bate-papo ainda trouxe outro consenso: o enorme espaço entre a discussão e as ações efetivas sobre sustentabilidade. Até por essa grande lacuna entre o falar e fazer que nossas ações precisam ser conjuntas, porque cada ação isolada acaba tendo um impacto menor do que poderia.

Falamos em como inspirar conexões para a sustentabilidade e que tipos de conexões podemos fazer não apenas para nós, mas também para os outros. Mas o que fazemos para inspirar nossas conexões?

Bom, nós aqui do Nex temos inspirado a sustentabilidade à medida que compartilhamos nossa visão sobre o tema com outras pessoas, quando criamos valor nas nossas relações, quando pensamos melhor e agimos melhor em prol da sustentabilidade, quando incentivamos mais o compartilhar do que o consumir.

E você, tem feito o que para inspirar a sustentabilidade? Junte-se a nós para a construção de uma sociedade mais sustentável.

Nosso #nexchat não termina por aqui. Acompanhe o @nexcoworking pelo twitter e nos ajude a levar o tema sustentabilidade em frente.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Semana Global do Empreendedorismo chegando ao fim




A Semana Global do Empreendedorismo está chegando ao fim. Nesta edição foram 235 atrações em todo o estado do Paraná. O evento é uma das maiores ações promovidas para o crescimento do empreendedorismo no mundo e ocorre simultaneamente em mais de cem países.

Com a proposta de estimular ações empreendedoras em diversos setores, além de orientar jovens empreendedores no desenvolvimento de idéias, transformando-as em grandes negócios, no Brasil o evento é promovido pela Endeavor, instituto internacional de fomento ao empreendedorismo.

No ano passado 2,6 milhões de participantes que realizaram 3.243 atividades, envolvendo em sua maioria palestras, cursos rápidos sobre inovação e gestão, e ainda a apresentação de cases internacionais de sucesso que tiveram origem em pequenos negócios. Legal, não?

O publicitário Guilherme Zavattaro, 21 anos, resolveu abrir seu negócio quatro meses atrás. “Percebi que havia muita demanda de trabalho. Muito cliente querendo e pouca gente atendendo. No começo tentei entrar em algumas agências como estagiário, mas as vagas estavam lotadas. A solução veio quando meu sócio tinha o mesmo pensamento e resolvemos, então, juntar esforços e abrir uma agência”, lembra.

Proprietário da BRZ Creative, ele acredita que quando você abre seu próprio negócio os desafios começam a aparecer. “Quando você é dono as coisas nem sempre acontecem como você espera. Ser empregado é ter garantido o salário no final do mês, essa é uma vantagem. Mas quando você é dono, não existe preguiça ou acomodação, sempre estamos motivados a trabalhar”.

Zavattaro faz parte dos 52% de jovens entre 18 e 34 anos, que segundo dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), dominam o mercado autônomo hoje. É a chamada geração Y que tem feito o empreendedorismo crescer a passos largos no Brasil.

A Semana Global do Empreendedorismo vai até o próximo domingo (20). Para mais informações sobre o cadastro e participação pode ser conferida no site http://www.semanaglobal.org.br/.

O futuro do coworking

Foto: Hugo Norberto
No passado, o coworking começou como um movimento de freelancers, em tempos mais recentes empresas de pequeno porte e de grande porte começaram a desenvolver este conceito. Recentemente o Deskmag pediu a nove especialistas na área suas opiniões sobre a evolução provável deste conceito nos próximos cinco anos.

Com base no número atual de espaços de coworking, estima-se que hoje exista cerca de 40.000 coworkers no mundo. Esse número pode até parecer pequeno, mas a tendência é de que ele possa chegar aos 200 mil nos próximos cinco anos.

Coworking como diferencial e não apenas para ser chamado de coworking

Para Tony Bacigalupo do NewWorkCity nos próximos cinco anos o coworking irá “continuar crescendo juntamente com pessoas que cada vez mais seguem carreiras que implicam em uma forma diferente de trabalho e de vida do que aqueles que estamos acostumados a ver”.

De acordo com Bacigalupo, ao longo dos próximos anos, a distinção entre “coworking” e “trabalho” vai ser cada vez menor. “Isso, levará mais de cinco anos, mas enquanto isso eu acredito que veremos o coworking acontecendo com mais freqüência. Em um numero crescente de casos, vamos o ver acontecer fora dos espaços de coworking propriamente ditos. Veremos coworking em corporações, espaços públicos, bibliotecas e muito mais”.

Espaços de coworking vão começar a se diversificar

Para Beth Buczynski do GoneCoworking a tendência é que os espaços de coworking cresçam cada vez mais. “Eles estarão em grandes e pequenas cidades, com foco em diversas indústrias. Haverá várias comunidades de coworking pequenas, mas formatadas dentro de redes de grande porte. O coworking vai se expandir não apenas horizontalmente, mas também verticalmente, também dentro das organizações”.

Grandes empresas vão se adaptar ao coworking para aumentar a produtividade

Steve King do CoworkingLabs vê as coisas de forma semelhante. “Vejo o coworking como um estilo de trabalho – de colaboração, de cooperação, inter-funcional, inter-organizacional e centrado em torno de projetos, em vez de departamentos ou empresas – se tornará muito mais comum”.

Para ele, os autônomos, as pequenas empresas e as startups continuarão a ser os grandes freqüentadores de espaços de coworking, mas as grandes empresas, por exemplo, irão se adaptar aos métodos dos escritórios compartilhados para melhorar a produtividade e aumentar o engajamento dos funcionários.

“Empresas de todos os tipos e tamanhos estão começando a oferecer espaços de coworking”.

O preço é o principal risco

“Coworking vai se tornar algo que qualquer um pode fazer, qualquer pessoa é suscetível de conhecer e  qualquer um é bem-vindo a participar não se limitando a freelancers como vemos hoje. Acredito que em menos de cinco anos, o coworking será ‘moda’ e sucessos mais significativos serão documentados”, afirma Alex Hillman da IndyHall

De acordo com Hillman o perigo surge quando as pessoas e empresas se voltam para o coworking principalmente como uma forma de reduzir custos. “Esse é o maior risco hoje. Como qualquer empresa, espaços de coworking podem ser capazes de atrair marinheiros de primeira viagem por preços baixos, mas eles vão perdê-los facilmente se não apresentarem, além do preço, boa qualidade nos serviços prestados”.

Espaços de Coworking VS Centros Executivos


Massimo Carrarp do italiano Coworking Project acredita que nos próximos cinco anos a diferença entre esses tipos de locais irá diminuir: “Os centros de negócios tendem a ser mais caros e mais orientados à privacidade. Eles ainda não entenderam a idéia de coworking. Mas eu vejo que alguns centros de negócios já estão mudando seu conceito. Estes espaços começam agora a reduzir seus preços, reorganizar o espaço e derrubar paredes”.

Segundo ele, em cinco anos a definição original de coworking vai ficar diluída e pode tornar-se mais associado com os Centros Executivos, as ações de escritório e empresas de gestão de propriedade.

Coworking dividido em dois tipos de espaços


"Acho que o movimento de coworking vai se dividir em duas categorias principais. Os pequenos espaços de coworking, contando com uma forte comunidade local e uma identidade específica e redes maiores, oferecendo mais serviços, com valor menor e usando efeitos de escala para gerar receitas e ampliar serviços”afirrma Eric do Mutinerie.

Qualquer declaração sobre o futuro do coworking restringe o seu potencial

Araceli Camargo do The Cube, de Londres, se recusou fazer uma avaliação detalhada. “O coworking é como um organismo de colaboração e de forma diversificado. Apesar dos escritórios compartilhados ainda serem jovens, eles já possuem várias tangentes, aplicações e visões. Desse modo, fazer uma estimativa do que será o coworking no futuro é diminuir o seu potencial de crescimento”.


Fonte: Deskmag
(Tradução livre: Rodrigo Bortot)

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Segunda Pesquisa Mundial de Coworking - Resultados Parciais


Esta semana divulgamos pelo twitter os resultados parciais da Segunda Pesquisa Mundial de Coworking apresentada oficialmente na Coworking Europe 2011.

Para quem se interessou e quer saber tudo que publicamos sobre a pesquisa, todos os tweets estão abaixo!


1-Mais de 1.500 pessoas de 52 países participaram da pesquisa divulgada em Berlim, na Alemanha.

2 – Segundo a pesquisa, 96% das pessoas consideram a comunidade um valor importante entre os membros em seu espaço de coworking.

3 – 74% dos coworkers sabiam o nome de todos ou de muitos dos seus colegas de trabalho.

4 – A maioria dos coworkers tem segurança em deixar laptop sozinho na sala, apenas 2% não.

5–  Para 93% das pessoas, o círculo social melhorou desde que começaram a freqüentar um espaço de coworking.

6– Para 76% dos entrevistados da #pesquisamundialdecoworking, o espaço colaborativo melhora a produtividade.

7 – No #coworkingeurope2011, 58% dos coworkers revelaram que vieram do Home Office

8- Cerca de 81% dos participantes da #pesquisamundialdecoworking gostam mais das pessoas do que qualquer outra coisa em um espaço de coworking.

9 - Para 61%, o local mais agradável para se trabalhar é em um escritório de coworking.

10 – 46% dos participantes da #pesquisamundialdecoworking afirmaram que o preço é o mais importante em um espaço de escritório compartilhado.

11 – 68% das pessoas disseram que não pensavam em deixar seus espaços de coworking.

12 – Enquanto 17% pensam em ficar, no mínimo, um ano em um escritório compartilhado.

13- A #coworkingeurope2011 mostrou que a maioria das pessoas estão satisfeitas com seus espaços de coworking. 

14- Em uma escala de 1 a 10, a média de satisfação dos usuários dos espaços colaborativos ficou em 8,4 na #pesquisamundialdecoworking.

#nexchat - 3o Papo Sustentável



O #nexchat, evento colaborativo que acontece quinzenalmente no NEX Coworking, traz a terceira edição do Papo Sustentável, uma iniciativa descontraída para compartilhar opiniões, conhecimentos e experiências sobre sustentabilidade. O objetivo é simples: ampliar a discussão sobre o assunto, auxiliando na construção de redes.

O tema do Papo Sustentável é: Criando Valor.
Como criar valor em nossas relações? De que maneira inspiramos nossas conexões?

As inscrições são gratuitas, esperamos você aqui!

DATA
segunda-feira, 21/11
19h30

LOCAL
NEX Coworking
Rua Comendador Araújo, 534B - 2o andar
Batel - Curitiba

MAIS INFORMAÇÕES
contato@nexcoworking.com.br
41 3023 - 7061.

REALIZAÇÃO
NEX Coworking
Avante Consultoria
ApreciAto

APOIO
Cav - Centro de Ação Voluntária de Curitiba
Atitude Sustentável
Revista Geração Sustentável
EcoBike Courier
Kaminski Avalca Consultoria Empresarial


Inscreva-se aqui.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Cinco grandes mitos sobre coworking


Como conceito, o coworking surgiu no final de 1990 sem grandes prospecções. Por volta de 2005, essa idéia foi revivida pelo programador de software Brad Neuberg, que popularizou o modelo básico de coworking como conhecemos hoje, onde os trabalhadores tem a comunidade de um escritório e a independência de um freelancer. Mas, ao longo dos últimos dois anos, o coworking evoluiu e amadureceu.

Aqui, nós vamos derrubar cinco mitos sobre coworking para mostrar o quanto ele mudou e está redefinindo a forma como trabalhamos.

Mito 1: “Coworking é apenas um termo glorificado para “escritório compartilhado”

Todos os espaços de coworking disponibilizam acesso compartilhado a ferramentas de escritório, facilidades como, aqui no Nex, internet banda larga, wi-fi, TV, sala de reuniões, entre outros equipamentos. São espaços utilizados por microempresários, empreendedores, desenvolvedores, pensadores, entre vários outros profissionais.

Mas, além disso, eles não são simplesmente escritórios. São, também, ambientes sociais e lugares de encontro para aqueles que estão cansados de trabalharem sozinhos em casa ou em cybercafés. Outros aspectos como a troca de experiências, o networking e oportunidades de novas parceiras fazem dos espaços de coworking mais do que simples escritórios.

Mito 2: “Coworking é apenas para startups de tecnologia e freelancers”

Quando o movimento de coworking começou, ele era destinado especialmente a freelancers e trabalhadores autônomos. Mas, hoje, as facilidades do coworking abrigam startups, pequenas empresas e até funcionários de grandes corporações.

Recente pesquisa na Deskmag descobriu que a maioria dos colegas de trabalho estão nas áreas de novas mídias. Cinqüenta e quatro por cento são freelancers e quase 20 por cento são empresários que empregam outros. O coworking também parece ser mais adequado para empresas de menor porte. Dos 20 por cento ou assim que são empregados permanentes, a maioria trabalha para as empresas com menos de cinco trabalhadores.

Mas os funcionários de grandes empresas estão começando a entrar em jogo, particularmente com a ascensão de regimes de trabalho flexíveis para minimizar os custos de deslocação para funcionários e pelo desejo de reduzir a necessidade de uma sede central

Um levantamento de 2011, de 600 executivos de todo o mundo realizado pela Regus constatou que mais de 60 por cento das grandes empresas estão olhando para as opções de trabalho remoto e virtual para seus funcionários.

Mito 3: “Espaços de Coworking são barulhentos e levam a distração”

Os espaços de coworking tendem a ter mais barulhos pela grande concentração de pessoas, mas nem por isso podemos dizer que são locais com grande barulho. Quando os membros precisam, muitas vezes, de silêncio absoluto, usam-se os fones de ouvido para evitar ruídos. Na grande maioria das vezes, os burburinhos dos espaços de coworking são encarados como parte do tecido social.

Mito 4: “ Coworking é só para os mais novos”

Os escritórios compartilhados são espaços de trabalho democráticos onde reúnem-se jovens e pessoas de mais idade. São jovens empresários que estão começando seu negócio próprio ou mesmo pessoas com grande experiência profissional que depois de um bom tempo resolveram buscar novas oportunidades.

Mito 5: “Coworking funciona somente nas grandes cidades”

Os primeiros espaços de coworking foram inaugurados em São Francisco e Nova York (EUA), entre outras grandes cidades. Mas, hoje, os espaços de coworking estão se disseminando em pequenas ou médias cidades. Para um monte de cidades pequenas o que está faltando é o acesso a uma comunidade de empreendedores que uma cidade maior oferece. Trazendo coworking para áreas menores, essas lacunas podem ser preenchidas. Dessa forma, espaços de coworking são ótimos locais para incentivar o empreendedorismo e reunir pessoas.

No Brasil cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Cuiabá e Curitiba, onde fica o Nex. Que tal conhecer um espaço de coworking? Venha até o Nex Coworking e conheça nosso espaço e a forma de trabalho de um escritório compartilhado. Estamos de portas abertas.



Fonte: Deskmag

(Tradução livre por Rodrigo Bortot)

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Apresentações da Coworking Europe 2011 Conference

A The 2011 Coworking Europe Conference, que aconteceu entre os dias 03 e 05 desse mês, na Alemanha, reuniu entusiastas da ideologia de coworking de todo o mundo e possibilitou diversas discussões fascinantes sobre o futuro do modelo.

Em um dos momentos da conferência houve apresentações de coworkings de diversas regiões, seus espaços e ideologias.

Veja algumas apresentações da Conferência:








Para ver todas as apresentações disponíveis, clique aqui.

Para saber mais sobre os objetivos da Conferência, leia nosso post: Coworking Europe 2011 Conference.

Fonte: Coworking Europe Conference 2011 Blog

Coworking é tema de palestra na UTFPR

(foto: Rodrigo Bortot)

Na última sexta-feira (4) o Nex foi tema de uma palestra na disciplina de Gestão da Oportunidade, para  alunos de diferentes cursos como Engenharias, Educação Física, Design, entre outros, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), em Curitiba.

Em um bate-papo descontraído, cerca de 50 alunos acompanharam a palestra que foi focada no empreendedorismo, no plano de negócios e, claro, no funcionamento de um espaço de coworking como o Nex. Explicamos aos alunos como funciona o nosso escritório colaborativo, de onde surgiu a ideia, quais seus diferenciais, entre outros aspectos.

Além de apresentar o Nex, conversamos sobre os desafios do empreendedorismo no Brasil. Falamos também sobre as estratégias, abordagens e motivações para iniciar e manter um negócio e as dificuldades do dia-a-dia de quem é empresário.

Há cinco meses no mercado, o Nex conta hoje com 26 coworkers entre jornalistas, arquitetos, publicitários, profissionais de Tecnologia da Informação (TI), entre outros profissionais.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Coworking Europe 2011 Conference


Começou hoje o The 2011 Coworking Europe Conference. O evento vai até sábado e está sendo realizado em Berlim, na Alemanha. 

O Coworking Europe Conference 2011 conecta 250 proprietários de espaços de coworking, catalisadores, líderes e inovadores para discutir o potencial do coworking como um novo modelo de trabalho, um motor de inovação e uma plataforma para as comunidades econômicas e sociais do século 21. Seus principais objetivos são:

- analisar a explosão do coworking e seu potencial. Pode o coworking fomentar o empreendedorismo na Europa? O coworking vai ajudar a disseminar os pequenos Vales do Silício por todas as cidades da Europa? Como espaços de coworking podem ajudar start ups e inovadores a se conectarem internacionalmente?

- continuar a construir a comunidade europeia de coworking (seguindo o bom trabalho feito na reunião de 2010 em Bruxelas). Proprietários de espaços de coworking e catalisadores do coworking terão a oportunidade de compartilhar ideias, opiniões, conhecimentos e melhores práticas durante esses 3 dias em Berlim.


(tradução livre por Maria Clara Oliveira)

Video da Conferência:
         

terça-feira, 1 de novembro de 2011

#nexchat - Formando Comunidades Saudáveis no Trabalho

(foto: Hugo Norberto)

(foto: Hugo Norberto)


Nosso #nexchat desta semana teve um formato um pouco diferente. Desta vez, a hostess foi a empresária Ana Paula Döring, que atua com programas, oficinas e palestras relacionadas ao mundo do trabalho. Ela ministrou palestra sobre a Formação de Comunidades Saudáveis no Trabalho.

Nossa anfitriã tem se dedicado a compreender como funcionam as relações no ambiente de trabalho, além de incentivar instituições na construção de relações mais saudáveis. A conversa trouxe vários olhares de profissionais de diversas áreas sobre as relações nos mais diferentes ambientes de trabalho. Para um público formado por empresários, consultores, estudantes e professores, Ana falou sobre como cada pessoa pode descobrir suas qualidades dentro da sua área de trabalho e como ajustá-las de acordo com as necessidades. O tripé trabalho + comunidade + saúde ajudou a definir o conceito proposto e fomentou a discussão 

Um dos pontos interessantes durante a conversa foram as percepções das características da chamada geração Y. Segundo Ana Paula, um traço muito marcante é a intenção de abrir um negócio próprio, apontando para uma forte capacidade de empreendedorismo e geração de novas oportunidades.

Durante a palestra, tivemos uma oficina onde cada participante enumerou os desafios do relacionamento dentro dos ambientes de trabalho. Características como: criatividade, conhecimento, planejamento, inovação, comunicação foram citadas pelos participantes do nosso #nexchat.


Nosso próximo #nexchat já está marcado para o dia 16 de novembro e será sobre consumo colaborativo. Gosta do assunto? Programe-se já! 

Coworking é tema de pesquisa mundial


O maior estudo mundial de coworking está em andamento, buscando uma melhor compreensão da demografia e da economia por trás do movimento.

Quem são os colegas de trabalho de hoje? Como são as relações entre colega e trabalho? Como os espaços de coworking mantêm sua visibilidade?
Essas questões podem ser respondidas por meio da segunda pesquisa Global de Coworking 2011/12 que está ao alcance de coworkers e proprietários de espaços de coworking.

A edição 2011 da pesquisa será pautada pelo conhecimento adquirido em 2010, quando houve a primeira Pesquisa Global sobre Coworking. Na ocasião, mais de 1.110 pessoas de 24 países participaram gerando um grande conjunto de dados.

O estudo detalhado pode ajudar os espaços de coworking a entenderem melhor as necessidades dos atuais e potenciais novos clientes, dessa forma melhorando o serviço que é ofertado.

O questionário leva menos de 10 minutos para ser respondido. Participando, você pode ajudar a melhorar os espaços de coworking, melhorar a atmosfera de trabalho, bem como a forma de como trabalhar em conjunto.

Como no ano passado, todos os resultados serão compartilhados na Deskmag. Os resultados preliminares da pesquisa serão apresentados na Conferência de Coworking Europeia, de 3 a 5 de Novembro, em Berlim.

Acesse e participe da pesquisa!

Fonte: Deskmag

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Primeira edição do #horaextra, nosso happy hour

(foto: Hugo Norberto)

(foto: Hugo Norberto)

Sexta-feira, clima agradável e colegas de trabalho reunidos. Nada melhor que depois de uma semana cheia de atividades, reunir todos para um happy hour. Foi o que fizemos no Nex na última sexta-feira (28).

Cerca de 20 pessoas, entre coworkers, amigos e familiares apareceram para dividir momentos divertidos regados a muita conversa, música, pizza, refrigerante e uma cervejinha. Até video-game a galera montou.

Os grupos revezavam de lugares entre si, dividindo seu tempo nas atividades paralelas que espontaneamente foram acontecendo. Do bate-papo ao Guitar Hero, a noite foi super animada.

A próxima edição do nosso happy hour já está marcada. Será na última sexta-feira de novembro, dia 26. Se você perdeu esse, programe-se para o mês que vem e venha compartilhar bons momentos.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Como estão as relações no seu local de trabalho?



Nosso próximo #nexchat terá um formato um pouco diferente. A anfitriã será Ana Paula Doring, que nos últimos anos tem se dedicado a entender a lógica das relações no ambiente de trabalho e apoiar empresas e instituições na construção de relações saudáveis nesses ambientes.

Vamos conhecer o trabalho da Rede Novo Olhar e conversar um pouco sobre nossas experiências e percepções sobre o tema.

Participe!

A inscrição é gratuita e pode ser feita aqui

Precisa de mais informações? Entre em contato com a gente!
41 3023-7061
eventos@nexcoworking.com.br

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Articulação dos Profissionais de Sustentabilidade



Uma articulação muito importante começa a conectar os profissionais que atuam na área de sustentabilidade no Brasil. A ABRAPS - Associação Brasileira dos Profissionais de Sustentabilidade foi fundada recentemente e, com a articulação em Curitiba, começa a ganhar espaço no Sul do país.

A primeira reunião foi realizada há três semanas, no NEX Coworking. Agora, o grupo se prepara para apresentar a instituição para um número maior de profissionais e articular uma agenda de trabalho visando a criação e fortalecimento do Grupo Sul da ABRAPS.

Mais informações: abrapssul@gmail.com

Participe!

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Educação para a Sustentabilidade

(foto: Hugo Norberto)
(foto: Hugo Norberto)
A educação para a sustentabilidade foi o tema do nosso #nexchat desta semana. Será que nosso modelo educacional está formando cidadãos conscientes e capazes de agir de maneira colaborativa? De que forma estamos formando as gerações futuras? Que mundo estamos construindo?

A partir dessas perguntas muitas ideias e opiniões foram compartilhadas. As opiniões foram diversas, mas prevaleceu o sentimento de que o nosso modelo educacional ainda é muito deficiente no que diz respeito à sustentabilidade, favorecendo a formação de pessoas individualistas e pouco colaborativas. Vejam que o debate foi profundo!

Educadores, estudantes e profissionais de diferentes áreas trocaram experiências e visões sobre o sistema educacional brasileiro e os desafios que a educação impõe para sociedade. E a conversa contou com a participação de uma visitante ilustre, a Pietra, de 11 anos. Ela veio acompanhando os pais, Pablo e Érica, ambos coworkers do NEX. E, além de nos alegrar com a sua presença, a Pietra nos brindou com uma participação brilhante no debate. "As crianças também precisam participar dessa conversa, afinal, nós é que estamos no dia-a-dia da escola", disse.

Quem trouxe a provocação para o bate papo foi o pessoal do OpenLab, uma instituição que cria oportunidades no campo do desenvolvimento humano e desafia as pessoas a experimentar novas formas de percepção, atuação e de expansão do potencial humano, agregando valor a sociedade e as futuras gerações.

Os #nexchats estão cada vez mais dinâmicos, divertidos e cheios de conteúdo! Cada um traz sua experiência, informação e juntos vamos construindo novos pensamentos, redes de ideias e atitudes. No fim, todos saem sabendo um pouquinho mais do que quando chegaram. Além de muita conversa surgem também novas amizades, parcerias e temas para próximos eventos.

Ainda há muito o que falar sobre Educação e Sustentabilidade. O bate papo foi só o ponta pé inicial para novas conversas e contatos. Participe, deixe seu comentário em nosso Blog, Twitter, Facebook e participe dos próximos bate papos!

---

O OpenLab repassou alguns videos sobre o tema debatido. Vale a pena dar uma olhada!

PS: O primeiro vídeo (Mudando Paradigmas na Educação), tem legendas em português. Basta clicar em CC.